sexta-feira, 12 de junho de 2009

A Vida, a Morte e o Destino


A notícia entrou, subitamente, por nossas casas e quem dela se apercebeu certamente reflectiu.
Sobre a Vida e a sua tremenda efemeridade.
Sobre a Morte e a sua total inevitabilidade.
Sobre o Destino ou os desígnios de Alguém.
Contudo, na maior parte das vezes, esses pensamentos só nos chegam se despertados pela notícia, pela novidade.
Atentemos no magnífico texto de Joshua, do blogue PALAVROSSAVRVS REX do qual retirei este pequeno extracto. Vale a pena ler tudo clicando aqui.

"Todos se pensam deuses desde que vivos, especialmente no esplendor desperdiçatório e perdulário do Primeiro Mundo. E todos pensam viver a vida dos outros deuses mais vivos que os demais, no Primeiro Mundo. Não compreendem que Cristiano Ronaldo & Paris Hilton, Silvio Berlusconi e as moças que alcoviteiriza para si mesmo e para o seu íntimo viagra de septuagenário sôfrego e podre de rico, não são senão deuses de barro caduco?! Humildade, seres humanos. Humildade, sempre! E Generosidade Amorosa para com quem precise. Está escrito que ninguém sabe o dia nem a hora, mas é aconselhado a Orar em toda a Hora e Lugar, vigilantes, como sentinelas prudentes, com o coração em frémitos de adoração amorosa ao Abba Celestial, para Quem todos são vivos. Johanna Ganthaler acedeu à Pátria dos Crentes, ao Definitivo que Há-de-Vir, Cidade Celestial que baixará um dia ao Mundo o qual da mesma forma se eleva para ela. A novidade está toda em ser Johanna notícia universal, o segundo nível de pseudo-divindade, no Primeiro Mundo e arredores: «Uma cidadã italiana que devia ter embarcado no voo 447 da Air France, mas não chegou a horas ao aeroporto, morreu num acidente de automóvel na Áustria, revelou a agência de notícias italiana Ansa.»".