quinta-feira, 28 de maio de 2009

A menina russa (2)


Gouveia Barros, o juiz-relator do Tribunal da Relação de Guimarães que decidiu que Alexandra, a menina russa de seis anos, fosse entregue à sua mãe biológica, declara, em exclusivo ao Expresso, estar "perturbado e surpreendido" com as imagens, transmitidas esta semana pelo canal de televisão russo NTV, onde são visíveis as agressões da mãe sobre a filha. (Fonte: Expresso)

Aí está mais um retrato da Justiça Portuguesa.
Alguém que confessa a sua incompetência para o exercício do cargo.
Alguém que agora pretende fazer passar a imagem de vítima.
Alguém que deveria demitir-se de imediato mas que, como é hábito em Portugal, não o fará e vai continuar a julgar nos nossos tribunais.

E note-se que a decisão do Tribunal de Relação foi proferida em 8 dias. Recorde nacional de celeridade ...

Insensibilidade, incompetência ou negligência grosseira ?

"Pior a emenda que o soneto"
Acrescentando:

Gouveia Barros achou que Florinda queria ser mãe de uma menina apenas por ter dois rapazes. “Fiquei chocado. A minha animosidade por Florinda vem daí, confesso. Mas penitencio-me por isso. Até porque a vi a falar na televisão e apercebi-me que não é a mesma pessoa que julgava. As declarações dela, da altura, foram mal vertidas para o papel.” (Fonte: Público)

O Juiz Gouveia de Barros, se realmente disse o que acima transcrevi, revela mais uma vez uma grande falta de qualidade para exercer profissão tão nobre.

Com efeito, admitir que ab intio sentia animosidade por uma das partes, seria no mínimo razão para pedir escusa de intervenção no processo.

Não o tendo feito, com todo o respeito e salvo melhor opinião, este Meritíssimo Juiz implicitamente confessa falta de imparcialidade no seu julgamento e dele só se pode pensar em termos de pessoa pouco escrupulosa e, direi mesmo, algo leviana.

Mal vai a nossa Justiça quando se vê que a simpatia ou antipatia pessoal podem ser factores de condenação ou absolvição.

Que fará o Conselho Superior da Magistratura ? Era bom que os portugueses viessem a saber.

14 comentários:

  1. isto acontece muito no Brasil também...sabe cada vez mais percebo que para este mundo ficar melhor muitos milhares de anos serão necessários...isto se durarmos ate lá...mas procuraremos fazer nossa parte que ja ajuda muito...gostei demais de seu Blog...principalmente as fotos colocadas...valeu...fuiiiiiiiii

    ResponderEliminar
  2. Olá Jorge!
    Eu acho que são os três adjectivos juntos.
    Uma colega do meu marido viu na tv que a Alexandra vai ser entregue ao casal português.
    A justiça Russa parece que é mais coerente, pois investigaram e viram que a senhora, (mãe biológica)não tem condições, nem económicas nem morais para ter a menina.
    A ser verdade, que vergonha para a justiça portuguesa!...
    Mas haja alguém, ou cá ou lá, que faça justiça!
    Beijinhos
    Boa tarde

    ResponderEliminar
  3. Céu Vieira

    Francamente não creio que a menina alguma vez volte a Portugal, a não ser que o pai biológico tenha alguma possibilidade de, na Rússia, obter a tutela da menina e a traga de volta.
    Os russos nunca irão abrir mão de alguém que consideram "cidadã russa", como a classificou o Cônsul deles, na RTP.
    Tenho muitas dúvidas quanto ao futuro da miúda e penso que vai acabar numa instituição qualquer, lá para aqueles lados.

    A Justiça portuguesa, infelizmente, tem aqui mais um caso para se envergonhar.

    E o Meritíssimo devia era estar calado e não vir discutir o caso, e querer justificar a sua própria decisão, na praça pública, dando azo a que todos possam abertamente opinar.

    Acho que isto ainda vai fazer correr muita tinta.

    ResponderEliminar
  4. Jorge:Na verdade também acho muito difícil que esta menina volte a Portugal, sendo cidadã russa.

    Na verdade quem realmente sofre no meio disto tudo é a menina, que de um momento para o outro foi arrancada das pessoas que amava para passar a viver com estranhos.

    Que destino terá ela?

    Susana

    ResponderEliminar
  5. Enquanto em Portugal a justiça for feita de uma forma subjectiva e dubiosa, não existe justiça, mas uns pobres coitados que tém de se submeter aqueles que pertencem a classe mandatória ou então sofrem as consequências.

    ResponderEliminar
  6. Caro Amigo Jorge:

    Por causa da Justiça que temos, ou melhor, que não temos, muitas vezes me lembro das célebres justiças de Fafe e de Salomão.

    Os meus parabéns por esta sua iniciativa a todos os títulos louvável.

    Grande abraço

    ResponderEliminar
  7. PARECE QUE PORTUGAL ESTÁ CHEIO DE "JUÍZES" DESTES...!!!
    QUEM TIVER necessidade DE RECORRER AOS TRIBUNAIS, POdE TESTEMUNHAR O QUE DIGO.
    E NOS TRIBUNAIS DE FAMILIA A COISA PIORA...!!!
    QUANDO EU ERA MENINO DIZIAM-ME QUE TIVESSE CUIDADO, POIS PODIA APARECER-ME O "HOMEM DO SACO..."
    COM O TEMPO, IA-MOS TOMANDO CONSCIÊNCIA DE QUE TUDO NÃO PASSAVA DE UMA FORMA DE NOS AMEDRONTAR.
    OS MENINOS DE AGORA JÁ NÃO TÊM ESSA SORTE, POIS OS "HOMENS DO SACO", OU O DIABO SE QUISEREM, EXISTEM MESMO! ESTÃO ESPALHADOS PELOS TRIBUNAIS PORTUGUÊSES, ARROGAM-SE DE JUÍZES, TRATAM MAL AS CRIANCINHAS, E AUFEREM VENCIMENTOS OBSCENOS.
    PARABÉNS JORGE PELA POSTAGEM.
    Gaspar de Jesus

    ResponderEliminar
  8. Segundo ouvi em noticiário (TSF) o juíz recebeu um relatório médico? referindo que a mãe não consumia álcool nem drogas. E que a família na Russia, segundo embaixada, apresentava condições para oferecer um lar à criança.
    Agora gostava eu de saber: mas quem foi o médico que passou este relatório? qual o País que envia informações se família tem ou não condições de oferecer um lar a uma criança?
    Isto não parece a história da carochinha?
    rssssss...

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Sabendo nós "leigos portugueses" que na Rússia ninguém mete o bedelho sem primeiro ser investigado sua conta bancária, caso contrário negam o visto, e Russia viste-a por um canudo, como é que um Juíz se deixa levar por este tipo de informação?
    Esta criança jamais vai voltar a Portugal!

    ResponderEliminar
  11. Tem um prêmio no meu blog pra você. Parabéns pelo seu blog.

    Abraço,

    Marise.

    ResponderEliminar
  12. Jorge, é chocante e triste a história desta menina e só posso desejar a ela, muita paz. Abs

    ResponderEliminar
  13. Soluções erradas, trazem consequencias piores!!!!!
    So peço a Deus que olhe p/ esta criança...agora é fazer tratamento psicológico nesta mãe e nesta criança p/ amenizar esta situação!!!!

    ResponderEliminar
  14. o que mais me choca é saber que o conselho de magistratura iria abrir um inqérito para averiguar o "mérito da sentença" e que levaria sensivelmente 30dias,e até à data nada e esse juiz continua talvez a dar sentenças de morte a inocentes,que estado,que governo!Ninguém deve imaginar o sofrimento e agonia desta menina,e esse juíz se não tinha voto na matéria retirava-se.Alguns morrem sem saber as sentenças esta menina venceu em barcelos e em 8dias perdeu em guimarães,por favor de ânimo leve somos portugueses mas não leigos!!!!

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.