sábado, 25 de abril de 2009

A velhinha e o MONSTRO - Uma história real


A senhora tem 95 anos de idade (quase um século), está praticamente cega, constantemente acamada.
Recebe um subsídio de reforma de quinhentos e poucos euros mensais que mal chegam para os medicamentos que toma.

Nem sequer existe. Não tem documentos. Em tempos perdeu a mala onde os tinha. Nem Bilhete de Identidade, nem Cartão de Contribuinte, nem sequer Cartão de Eleitor. Não tem condições físicas para se deslocar aos serviços competentes para os renovar.

Mesmo assim o MONSTRO localizou-a.

Há tempos o MONSTRO legislou. E ela passou a ser obrigada a apresentar anualmente a declaração de IRS, mesmo que não tenha que pagar nada ao MONSTRO.

Ela, coitada, nem sabe o que é o IRS. Ela, coitadita, nem sequer já conhece nada de leis.

Só sabe que tem dores, tonturas quando se levanta, que tem que ser amparada, que não vê, que já não pode escrever.

Mas o MONSTRO diz-lhe que tem que fazer uma DECLARAÇÃO. Do que recebe, do que gasta com a sua débil saúde... Ela que nem sequer distingue as moedas.

A carta do MONSTRO chegou. Está atrasada a senhora ! Já em 2007 devia ter mandado a DECLARAÇÃO ! Tem 30 dias para explicar ! E vai pagar uma multa de mais de 100 euros (mais de um quinto da sua pensão mensal) ! Mesmo não devendo nada ao MONSTRO, não devendo nada a ninguém.

O CHEFE DOS MONSTROS diz que não vai perdoar a multa.

A senhora não vai pagar.

Ainda será viva quando vier a penhora dos bens que não existem? Pode ser que lhe venham penhorar o caixão !!!

Esta é uma situação real.
Esta é uma questão que, segundo os números divulgados, abrange 120 mil idosos neste país.
O Estado vai arrecadar cerca de 22 milhões de euros nas multas, uma vez que ninguém tem que pagar imposto.
Dizem os MONSTROS (eu chamo-lhes governantes deste Portugal), que não vão "perdoar" as multas por questões de "justiça e igualdade".
Que justiça social, que igualdade? Isto é roubar a quem não tem força para se defender. É alimentar com o sangue dos pobres a barriga dos senhores do capital, dos ordenados chorudos, das negociatas escuras, dos BMW topo de gama, dos banqueiros, dos empresários corruptos, dos que têm 2 e 3 reformas de milhares de euros: os VAMPIROS.
Haja vergonha !
Assim eu comemoro o 25 de Abril.