terça-feira, 14 de abril de 2009

Farmácia hospitalar com venda directa ao público


O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, inaugura hoje uma farmácia de venda directa ao público, numa cerimónia que contará com a presença do primeiro-ministro e da ministra da Saúde. A farmácia fica instalada junto ao Serviço de Urgência Central do hospital e vai permitir a compra dos remédios prescritos pelo médico logo após a consulta. (Fonte: Público)

Em minha opinião é uma medida de aplaudir vivamente.

Sabendo-se que todos os hospitais têm farmacêuticos no seu quadro de pessoal com capacidade de responsabilização por estruturas como estas, sabendo-se que as condições de emprego para os recém licenciados não é brilhante, não vislumbro porque é que a iniciativa não se implementa desde já em todos os hospitais públicos.

Também não entendo porque é que é necessário tanto alarido político e o que é que o primeiro ministro lá vai fazer.

Bom, estamos em ano de eleições, não é ? Valha-nos Deus !

(Imagem retirada daqui)

4 comentários:

  1. e as farmácias vão pagar aos hospitais 5% do ganho e mais 600 mil euros de renda (pareceu-me ouvir este valor, mas não tenho a certeza).
    A ser assim, que rico negócio este os das farmácias!!! Como não há-de dar, para a indústria farmacêutica oferecer boas prendas ao médicos? rsssssssssssss
    tal como um bom incentivo a receituários extensivos? rsssss

    ResponderEliminar
  2. Também acabei de ouvir essa. Mas não são as farmácias todas. Pelo menos acho que, por agora, é só esta.
    Mas se assim é, então não é mais do que "aluguer de local para instalação" de uma farmácia igual às outras.
    Assim eu confesso que já não gosto muito.
    Mais uma vez este governo faz de nós parvos.

    Isso das boas prendas já foi chão que deu uvas (rsss). E ainda bem que acabou.

    Ellen, não se esqueça que os preços dos medicamentos são também regulados pelo Estado. Sabia disso ?

    ResponderEliminar
  3. A moda não é nova! O SAMS em tempos tinha a sua farmácia e acabou, pois dava prejuízo. Se fosse para comprarem mais barato, os mais necessitados...Ou até gratuito!...
    Mas que estou eu a dizer? Quem manda pode!

    ResponderEliminar
  4. Sim, Jorge sabia :)
    E é mesmo aluguer sim. Negócio da china e que dá milhões. Irrita tudo isto...somos mesmo um zé povinho pobre em todos os sentidos (excepto nós eheeheh)

    beijito

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.