domingo, 15 de março de 2009

Tertúlia Virtual - O Desejo


A Universidade de Coimbra, é a mais antiga universidade portuguesa. A instituição, uma das maiores do país, remonta ao século seguinte ao da própria fundação da nação portuguesa, dado que foi criada no século XIII, em 1290, mais especificamente a 1 de Março, quando foi assinado em Leiria, por D. Dinis, o documento Scientiae thesaurus mirabilis, que criou a própria Universidade.

A universidade, inicialmente instalada em Lisboa, foi transferida para Coimbra, para o Paço Real da Alcáçova, em 1308.

Em 1338 voltou para Lisboa, onde permaneceu até 1354, ano em que regressou para Coimbra. Ficou nesta cidade até 1377 e voltou de novo para Lisboa.

Até 1537 permaneceu em Lisboa, data em que foi transferida definitivamente para Coimbra, por ordem de D. João III.

Durante os seus mais de sete séculos de existência, a Universidade, hoje uma instituição de referência, foi crescendo, primeiro por toda a Alta de Coimbra e depois um pouco por toda a cidade, encontrando-se actualmente ligada a gestação de ciência e tecnologia e à difusão de cultura portuguesa no mundo.

Continuando a manter o renome de outros tempos, é indiscutível a qualidade do ensino na Universidade de Coimbra. Todas as 8 faculdades têm cursos e departamentos geralmente considerados de excelência a nível nacional, e nalguns casos internacional.

A Universidade de Coimbra tem consistentemente ficado classificada entre as 3 melhores universidades do mundo de língua portuguesa.

Vem isto propósito da blogagem colectiva de hoje - A Tertúlia Virtual.

O tema DESEJO, que nos foi dado, fez-me correr o pensamento, lembrar cantigas de amor e paixões vividas na minha juventude, nas noites fados e guitarradas, nas serenatas, quando os dedos ainda conseguiam tirar acordes da minha viola. Recordei os meus velhos tempos de estudante da Universidade de Coimbra.

Daí à ideia da produção de um vídeo foi um salto.

Imagens da minha velha Universidade, da Torre, da Biblioteca Joanina, da Capela, da Reitoria, da Sala dos Capelos, das Faculdades foram-me surgindo na net. Até do velho anfiteatro onde, no meu primeiro ano, tive aulas e fiz exame de Química Médica. Os seus autores? Desconheço-os, mas são óptimos artistas.

A música? Um fado de Coimbra, como não poderia deixar de ser. A voz do meu colega Luís Goes, poucos anos mais velho na Faculdade. As guitarras e violas do Quinteto de Coimbra.

Enfim, o desejo de que esses tempos nunca tivessem passado. Fica a saudade.

O meu desejo
é dar-te um beijo,
é ter desejo de te beijar.
Perdidamente,
como quem sente
que o teu sorriso
vai acabar.


O meu desejo
é dar-te um beijo,
é ter desejo de te beijar.
Como quem ama
do Sol a chama,
como quem reza,
sempre a chorar.



31 comentários:

  1. João, que versos tão bonitos!!! :)

    Vivi em Coimbra um ano e meio. Quando regressava aos fds a Lisboa cantarolava no carro (sozinha) para a viagem parecer mais curta, mas era com um sentimento diferente do seu... (não gostei do tempo que lá passei)

    era esta a frase que mais repetia:
    ... coimbra tem mais encanto na hora da despedida...

    Ainda bem que as recordações não são iguais para todos :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Olá Helena

    Bom dia e obrigado pela visita e comentário. (Também pelo crisma) rsss

    Já agora deixo-lhe aqui a letra completa da Balada da Despedida:

    Não me tentes enganar,
    Com a tua formosura,
    Que para além do luar,
    Há sempre uma noite escura.

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.
    E as lágrimas do meu pranto
    São a luz que me dão vida.

    Quem me dera estar contente,
    Enganar a minha dor,
    Mas a saudade não mente,
    Se é verdade no amor.

    ResponderEliminar
  3. Espetacular o seu vídeo e o sempre eterno som do fado de Coimbra!
    O tempo passou, mas as recordações ninguém lhas pode tirar...
    Meu beijo de parabéns!
    Marie

    ResponderEliminar
  4. Viva, Jorge!

    Bem casto, na verdade, o seu desejo. E bem trazido até nós.

    Abraço

    Ruben

    ResponderEliminar
  5. O desejo de saudade, de tornar a um tempo vivido faz manter o desejo aceso de algo que se viveu, e nos marcou... adorei seguir nesta sua viagem até coimbra.
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Os desejos da juventude são os melhores. Magnífico post!
    Abraços da engenheira química (...mas da Universidade de São Paulo)

    ResponderEliminar
  7. Joprge
    Interessante tua abordagem , o desejo ... da permanência. Bela postagem.

    abraço

    ResponderEliminar
  8. OLÁ JORGE, BOM DIA
    NÃO TENHO ADJECTIVO PARA QUALIFICAR ESTE VÍDEO...SEM PALAVRAS...!
    PARABÉNS AMIGO
    BEIJINHOS E BOM BOMINGO

    ResponderEliminar
  9. Bom dia Jorge querido, sempre impecável aqui, video incrível, ofusca qualquer pretenção de ser previsível, sua beleza é ímpar.

    Beijos e ótimo domingo
    Tertúlia cheia de desejos aqui.

    Chris

    ResponderEliminar
  10. ahahah... eu realmente às vezes ando mesmo na LUA...JORGE!!!!!

    Desculpe este lapso imperdoável JORGE, mas visitei já bastantes blog's e foi nisto que deu... de manhã não funciono a 200% ... só depois de almoço :)))

    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. e.....bem que a minha amiga marie diz, eu baptizo todos, até o do eduardo eu já troquei o P.L pelo L.P (claro que já corrigi)!!!

    :))))

    ResponderEliminar
  12. A todos os que comentaram os meus agradecimentos.

    Especialmente para a ellen:
    Isso de não funcionar de manhã é insuficiência biliar crónica ou noites mal passadas ???? rsss Bj

    ResponderEliminar
  13. Jorge lindo demaaaaaaaaais!!!

    Video, poema, e verdades contidas. Adorei: Desejos realizados têm cheiros ou dao lugar às saudades...

    ResponderEliminar
  14. modo muito pessoal de dizer do desejo nas palavras sempre queridas desses fadistas

    ResponderEliminar
  15. Só lhe ficam bem essa saudade-desejo. Uma Universidade lindíssima, histórica e cheia de vida. Em Lisboa era mais faltar às aulas. Não tenho minimamente o mesmo sentimento. A culpa é da Universidade.

    ResponderEliminar
  16. O vídeo é lindíssimo e o fado escolhido, sublime.
    "Do Choupal até à Lapa, Viu Coimbra os meus amores...".
    Uma óptima participação nesta tertúlia!
    Um beijo,

    Milouska

    ResponderEliminar
  17. Voltei aqui para acrescentar que adorei rever a Faculdade de Letras, onde me formei.
    Já agora deixo, para quem não conhece, a letra completa do "Fado do Estudante" que citei no comentário anterior:

    Do Choupal até à Lapa
    Viu Coimbra os meus amores.
    A sombra da minha capa
    Deu no chão e abriu em flores.

    Ó Coimbra do Mondego,
    E dos amores que eu lá tive
    Quem te não vê anda cego,
    Quem te não ama não vive.

    ResponderEliminar
  18. Jorge
    Obrigado por levar a ver a visitar a Universidade de Coimbra que não conhecia por dentro.
    Adora Fado de Coimbra, e Luís Gois então...!
    Muito obrigado meu amigo por este pedacinho de Cultura inserido no tema DESEJO.
    Como seria bom poder-mos realizar o DESEJO de parar a máquina do TEMPO.
    Abç
    G.J.

    ResponderEliminar
  19. Lindo jorge!
    Um dia irei conhecer este país maravilhoso!
    Ouvir o Fado, tomar estes vinhos divinos e, ouvir estas guitarras que só voces sabem fazer
    vibrar.
    um beijo lili

    ResponderEliminar
  20. ...de bílis não me queixo, por enquanto rssss

    Talvez noite mal passadas :))) mas já não tem cura mesmo... já nasci assim (de manhã dormir dormir, às vezes nem ouço despertador rsssss ... à noite, acordada acordada muita despertina)
    Qual o remédio? :)

    ResponderEliminar
  21. ... e já levei a Balada de Despedida!!! rssss

    Obrigada JORGE :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  22. Bons apontamentos

    Boa postagem

    e muito bom video

    Coimbra é saudosa

    ResponderEliminar
  23. TAMBÉM ME LEMBRO DA LETRA DE UM OUTRO FADO DE COIMBRA MUITO BONITO:

    FUI AO MONDEGO LAVAR
    AS PENAS DAS MINHAS MÁGOAS
    MINHAS MÁGOAS ERAM NEGRAS,
    NEGRAS FICARAM AS ÁGUAS
    MINHAS MÁGOAS ERAM NEGRAS
    NEGRAS FICARAM AS ÁGUAS.

    ANDAVA O SOL LÁ NO CÉU
    TÃO CONTENTE ATRÁS DA LUA
    ASSIM A MINHA ALMA ANDAAVA
    DE CASTIGO ATRÁS DA TUA...
    ASSIM A MINHA ALMA ANDAVA
    DE CASTIGO ATRÁS DA TUA...

    NÃO ME LEMBRO SE TEM MAIS LETRA...!
    ERAM 3 DOS MAIS BONITOS FADOS DE COIMBRA

    CANTAROLEI-OS MUITAS VEZES NA MINHA JUVENTUDE.
    APESAR DE NÃO TER FREQUENTADO A UNIVERSIDADE,
    ADORO FADOS DE COIMBRA
    PARABÉNS
    BEIJINHOS

    ResponderEliminar
  24. Uma bela lição de história. Com saudade e desejo de voltar. Bj.

    ResponderEliminar
  25. Jorge,

    Quando aqui estive pela primeira vez, aprendi a conhecer você, não pelas palavras ditas, e sim, pelas imagens publicadas. Elas falavam a linguagem do seu coração, e isso, às vezes, não cabe em palavras. Hoje, escuto o fado (que saudade do Francisco José)e ele, reflete a sua alma. Que beleza de desejo você expôs nas suas saudades esquecidas... Um abraço e obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  26. Jorge,

    O comentário acima é meu.(Julieta Barbosa) Saiu no nome da minha filha Danielle porque ela estava usando o computador e eu não percebi. Desculpe.

    ResponderEliminar
  27. Ok Julieta. Obrigado pelas suas palavras.

    Francisco, Céu e Rose
    Para vcs um abraço de agradecimento.

    ResponderEliminar
  28. Mais uma vez esqueci-me da tertúlia!! Ora bolas!!!!

    ResponderEliminar
  29. que lindo seu texto, amei de paixão... parabens pela bela participação desta blogagem coletiva.... ja estou aguardando a proxima.

    abraços

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.