quinta-feira, 19 de março de 2009

A montanha pariu um rato


Ontem, na Assembleia da República, o Primeiro Ministro José Sócrates tirou o que parecia mais um coelho da cartola.
Anunciou que as famílias com desempregados iriam ter uma redução de 50% na prestação dos empréstimos em vigor para compra de habitação própria.

Portugal aplaudiu, os media fizeram disso parangonas.

Mas hoje, mais a frio, o contexto do discurso apareceu mais claro: a redução é temporária, o benefício não é a fundo perdido e tem que ser devolvido aos bancos, o prazo é de dois anos (que afinal é, praticamente, ano e meio).

Quem serão realmente os "beneficiados" ? O Primeiro Ministro não disse.
Como se fará o pagamento a partir de Janeiro de 2011 ? O Primeiro Ministro não disse.
E se a situação de desemprego se mantiver em 2011 ? O Primeiro Ministro não disse.
Quantas famílias vai a medida abranger ? O Primeiro Ministro não tem números.

Afinal, mais uma vez, a montanha pariu um rato.

(Imagem: Público)

6 comentários:

  1. Mas o povo gosta dos foguetes antes da festa...

    ResponderEliminar
  2. Eu ouvi ele dizer, que só abrangia as famílias em que apenas um membro do casal estivesse desempregado. Não numa compra nova actual, mas sim, na que já vence! E no máximo 2 anos, 50%, e népia de facilitismos...tudo seria pago, e com juros, porrogando o numero de anos à divida feita!
    Por isso, vamos tirar o cavalinho da chuva porque isto não é para todos! e viva a democracia (um pouco de humor faz bem) rssssssss

    ResponderEliminar
  3. ahhh...e era só deslocarem-se ao banco do dito empréstimo feito e pedirem esta tal "prenda"... tudo seria transacionado entre banca e governo rssssssss

    que bommmmm...não é preciso andar de balcão em balcão!!!!

    ResponderEliminar
  4. Cá para mim é capaz de ser mais uma medida a favor da banca... Têm recebido pouco...
    E o povinho não abre os olhos??!!
    Um beijo,

    Milouska

    ResponderEliminar
  5. João Menéres
    Pois infelizmente é assim.

    Ellen
    O que é facto é que ninguém sabe de nada e há muita dúvidas.

    Milouska
    Se calhar tens razão. Pelo menos isto diminui o crédito mal parado, o que é extremamente benéfico para os bancos. Mais uma ...

    ResponderEliminar
  6. JORGE
    Ontem assisti ao debate, ou antes, há que pôr os nomes às coisas, Assisti à palhaçada montada pelo governo para enganar o ZÉ!
    e quando vi estes tipos a entrar no Parlamento, as caras deles mostravam aquilo que sempre achei...
    Trata-se realmente de uma quadrilha de malfeitores, bem evidente nesta fotografia postada.
    acredite que eu próprio quase acreditei que o "gajo" estava a falar verdade?
    Mas hoje percebi que a palavra "moratória" era a chave da TRAMOIA...!!!
    Grande abraço
    G.J.

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.