quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O paradigma da normalidade humana


Quando o país atravessa uma gravíssima crise económica, em que o Governo não é capaz de tomar iniciativas que os portugueses entendam como válidas e delas vejam resultados, o Primeiro Ministro José Sócrates, na qualidade de Secretário-Geral do Partido Socialista, decide falar sobre o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, desviando atenções, tempos de antena e páginas da imprensa escrita.

Parece-lhe (a ele José Sócrates) que é agora o tal momento oportuno para discutir o assunto, tentando ignorar as anteriores propostas do Bloco de Esquerda, do Partido Ecologista "Os Verdes" e da própria Juventude Socialista, que, em devido tempo, ele próprio rejeitou com o argumento da inoportunidade.

Mais uma tentativa de desviar a atenção do povo, como antigamente se fazia com a trilogia Fado, Fátima e Futebol.

Esquece-se o Primeiro Ministro José Sócrates que o povo português de agora já não é o povo cinzentão do Estado Novo e que as gerações mudaram.

Quem não mudou foi a Igreja Católica nos seus arcaicos princípios, na rotulagem dos comportamentos, na imposição das suas ideias, na sua intolerância medieval.

Nem sequer perdeu a sua ânsia de pontuar no campo político como se vê nas palavras do cardeal D. José Saraiva Martins, quando afirma "Nestes casos, neste sector em concreto, é absolutamente necessária uma colaboração sincera, autêntica e eficaz entre o Estado e a Igreja".

Para a Igreja a "homossexualidade não é normal", assim como os que vivem juntos, sem casamento religioso católico, vivem no pecado e geram filhos do pecado.

No entanto aceita-se como normal uma vida inteira no celibato e na castidade absoluta.

Será que isto não é, só por si, uma violência extrema sobre o ser humano ?

Será que os que aceitam tal violência sobre si próprios são pessoas normais ?

11 comentários:

  1. Pois é, até parecem que não têm telhados de vidro...
    Passados tantos anos do 25 de abril, fico tão triste. Que atraso...
    Ao menos, podiam levar a bíblia à letra e não se imiscuírem em certos assunto "a César o que é de César"
    Um abraço recheado de sorrisos,

    ResponderEliminar
  2. OLÁ JORGE, BOA NOITE
    É ASSIM...!!!
    ESTE É UM TEMA MUITO POLÉMICO.
    LÁ QUE O SR SÓCRATES QUEIRA TAPAR O SOL COM A PENEIRA E DESVIAR A ATENÇÃO DO POVO DOS VERDADEIROS PROBLEMAS DO PAÍS, LÁ ISSO É VERDADE. MAS, COMO CRISTÃ EVANGÉLICA QUE SOU, TAMBÉM NÃO POSSO DEIXAR DE CONCORDAR COM OS SRS CARDEAIS, DIZENDO QUE É PECADO E CONTRANATURA O CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO. COMO CRENTE EM DEUS QUE SOU, CREIO NO QUE ESTÁ ESCRITO NA BIBLIA. DEUS QUANDO CRIOU, FOI MACHO E FÊMEA QUE CRIOU, TAL COMO TODOS OS OUTROS ANIMAIS, E NÃO 2 MACHOS OU 2 FÊMEAS. QUANTO A ESSES SRS CARDEAIS, JÁ QUE QUEREM USAR A BIBLIA, POIS QUE USEM EM TUDO...PORQUE ESTÁ ESCRITO NA 1ª CARTA DO APÓSTOLO PAULO A TIMÓTEO NO CAPÍTULO 3, QUE O BISPO DEVE SER UMA PESSOA DE BOA REPUTAÇÃO, MARIDO FIEL, ETC ETC ETC. ORA SE TEM DE SER MARIDO FIEL, DEVE SER CASADO, NÃO ?! QUEM DEU AUTORIZAÇÃO A ESSES SRS DE INVENTAR O CELIBATO OU A CASTIDADE ETERNA? CLARO QUE ISSO É DESUMANO...!!!MAS PRONTO, SÃO DOUTRINAS INVENTADAS PELOS PAPADOS AO LONGO DOS SÉCULOS, (ASSIM COMO OUTRAS) QUE NADA TÊM A VÊR COM DEUS.
    DESCULPE ESTE RELATÓRIO, MAS EU TINHA DE LHE EXPLICAR ESTAS COISAS.
    BEIJINHOS
    BOA NOITE

    ResponderEliminar
  3. Dulcineia e Céu
    Obrigado pelas visita e comentários.
    Se repararem eu, propositadamente, não quis, nem quero, pronunciar-me sobre o assunto casamento civil de pessoas do mesmo sexo.
    O que eu quis foi tão só denunciar mais uma manobra asnática do nosso PM e deixar no ar a pergunta: afinal o que se deve entender por "pessoa normal"?
    Beijinhos.
    Jorge

    ResponderEliminar
  4. Olá saudoso amigo Jorge!
    Que pertinentes considerações! Sei que não serve de consolo, mas essas manobras políticas amorais, não são privilégio de políticos de Portugal, a classe política em todo o mundo pratica o abuso e desvio de poder, isso porque a sociedade civil não participa em conjunto pressionando e cobrando amaparada pela lei, essa mentalidade precisa ser difundida e revolucionada no mundo.
    A igreja peca covardemente quando usurpa o lugar de Deus e afasta seus fiéis da verdadeira comunhão espiritual, e sexo sempre foi e será um imenso portal para o extâse espiritual, dependendo apenas de que sentimentos estão envolvidos no ato. O celibato da igreja católica é meramente uma questão econômica. Azar o deles!!!
    Parabéns e um grande abraço!

    ResponderEliminar
  5. Viva Jorge!
    Foi noe spírito de "manobras de distracção" (mais do que nunca necessárias) que entendi o post.
    "dar a césar o que é de César" vem depois da reacção da Igreja (Prós e contras) sp a meter-se onde não devia...
    Beijos e sorrisos

    ResponderEliminar
  6. Jorge, nem eu sei o que é uma pessoa dita 'normal' e lido com esse mundo todos os dias. Mas talvez pelo meu conservadorismo, pensamento antíquado para o sec.XXI, sinceramente que julgo não será muito saudável uma criança ver os seus progenitores(do mesmo género) a dormirem juntos e a trocarem os seus carinhos no seu dia a dia. Talvez seja um pensamento retrógado mas é o meu! e a minha intenção não é a de chocar ninguém, pois sei respeitar a opinião de cada um. É meramente uma suposição...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. ahhh e mais... nitidamente este assunto agora em voga pelo sr.PM é sem dúvida para tapar o sol com a peneira (como alguém já aqui o referiu) para distrair o zé povinho do escandalo que se tem feito sentir nestes ultimos dias rssssss... o povo é sereno e tem memória curtiiiiiiinha :)

    ResponderEliminar
  8. Margareth
    Dulcineia
    Helena

    Obrigado pela vista e comentários. O minha ideia foi entendida, felizmente.

    O assunto é melindroso e, no fundo, é do íntimo de cada um. Por isso desperta a polémica e consome energia nos nossos neurónios.

    A Helena fala de outro assunto em que eu nem sequer quis tocar por agora (rs), mas sempre lhe digo que a mim também me custa um pouco entender a adopção e a educação das crianças nesse enquadramento. Mas isso é outra coisa.

    Mas, no meio disto tudo, e para além da manobra política de Sócrates, devo confessar que não gostei de saber que um alto dignitário da Igreja Católica usa o termo "normal" com tanta ligeireza de linguagem.

    Talvez por defeito profissional sempre fui avaro no uso dessa palavra. Não gosto de a usar, até porque, não exprime nada de absoluto, nada de exacto, nada de cientificamente correcto.

    ResponderEliminar
  9. Há um ditado que diz isto (ou parecido) "dá-se a mão querem logo a perna" e lá chegaremos :)

    Beijinho e bom carnaval

    ResponderEliminar
  10. oi
    mentalidade precisa ser difundida e revolucionada no mundo.
    A igreja covardemente quando usurpa o lugar de Deus e afasta seus fiéis da verdadeira comunhão espiritual.abraço

    ResponderEliminar
  11. http://exiladonomundo.blogspot.com/2011/01/normalidade.html

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.