segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Negócios na cadeia


O ex-presidente do Banco Português de Negócios (BPN) Oliveira e Costa encerrou a empresa Resnostra, em Lisboa, 22 dias depois de ter entrado em prisão preventiva, indicam documentos a que a Lusa teve acesso.

Oliveira e Costa constituiu a 30 de Junho de 2008 a Resnostra Investimentos Lda, com sede na garagem do edifício da Av. Pedro Álvares Cabral, onde o ex-presidente do Banco Português de Negócios (BPN) foi detido a 20 de Novembro, segundo dados da Coface, empresa de seguros de crédito e de informação sobre empresas.

A 12 de Dezembro, já detido em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Lisboa, Oliveira e Costa dissolveu a empresa, cuja Classificação de Actividade Económica (CAE) é de "Compra e Venda de Bens Imobiliários". (Fonte: Público)

Isto faz-me lembrar aqueles filmes americanos em que um cadastrado consegue, da prisão, controlar as actividades do seu gang.
Mas é pior. Aqui em Portugal, o prisioneiro até consegue efectuar actos oficiais.
Que a droga entra e é consumida nas prisões já sabíamos...

3 comentários:

  1. PORTUGAL NO SEU PIOR !
    É tudo muito democrático, é tudo muito transparente.

    ResponderEliminar
  2. Ao observar a imagem percebe-se que a Cela dele deve ser muito fraquinha...rsrsrs
    Parecia que tinha saído de um "centro de beleza".
    Há muitos anos atrás,por diversas vezes fotografei uma "Burlona de alta categoria" Maria das Dores se não estou em erro, que se apresentava no sempre impecável, como se fosse para uma festa...!
    É este o estado do país!!!
    Embora eles venham com a Lenga Lenga do costume para nos adormecer
    Parabéns pela postagem.
    G.J.

    ResponderEliminar
  3. É preciso noticiar estes fatos sempre e chamar a atenção das autoridades, por aqui as coisas não diferem em nada, preisioneiros comandam gangues, distribuem drogas e até fazem concursos de prêmios, ainda hoj assisti no canal de tv aberta Record News que os bandidos rifaram 2 automóveis e 3 motocicletas com ano de fabricação 2007, direto do presídio. A criminalidade não está só detrás das grades.
    Abraços!

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.