sábado, 3 de Janeiro de 2009

O Pintor e o Quadro (7) - Toulouse-Lautrec


O Pintor

Henri-Marie-Raymonde de Toulouse-Lautrec nasceu em uma família aristocrática, recebeu educação artística e foi um menino normal até os 14 anos, quando sofreu um acidente e fez uma fractura do fémur esquerdo. Menos de um ano depois, fracturou o direito. Os traumatismos, aliados a uma doença óssea congénita atrofiaram-lhe os membros inferiores e ficou praticamente anão, com dificuldades locomotoras.

Prostitutas, cabarés e cervejarias estão inevitavelmente associados ao nome de Henri de Toulouse-Lautrec, mas aquele que seria conhecido por retratar a vida boémia e sua degradação foi, no início de sua vida, um nobre.

Em 1872, em Paris, ingressou no Liceu Fontanes e, em 1881, depois de terminar o curso, decidiu tornar-se pintor. Um dos seus primeiros mestres, Léon-Joseph-Florentin Bonnat, defensor das normas académicas e contrário aos impressionistas, não gostava dos desenhos do seu aluno. Em 1883, Toulouse-Lautrec passou para o estúdio de Fernand Cormon, onde conheceu Van Gogh e Émile Bernard. Apesar do apoio do novo mestre, sentia a estética académica como algo cada vez mais restritivo.

Montou seu próprio estúdio e passou a frequentar o bairro boémio de Montmartre, em Paris, que tornaria célebre na sua obra. Ao contrário dos impressionistas, Toulouse-Lautrec tinha pouco interesse pelas paisagens e preferia os interiores. Pintou "Moulin Rouge", "Au salon de la rue des Moulins" e inúmeros retratos.

O seu estilo transgredia as proporções anatómicas e as leis da perspectiva em favor da expressividade. Os traços rápidos e as cores intensas sugeriam movimento. A simplificação do contorno e o uso de grandes áreas numa só cor caracterizam os seus cartazes, que estão entre as suas obras mais significativas.

A partir de 1892, Toulouse-Lautrec dedicou-se à litografia. Entre as mais de 300 que produziu, destaca-se a série "Elles", retratando a vida nos bordéis. Nessa época o artista já se tinha entregue ao alcoolismo. Em 1899, após um colapso nervoso, passou alguns meses num sanatório mas voltou a beber.

Henri de Toulouse-Lautrec morreu prematuramente, aos 36 anos, no castelo de Malromé em Gironde. Apesar da excepcional popularidade de seus cartazes publicitários e das numerosas litografias, o reconhecimento da importância estética de sua obra demorou a chegar.


Os Quadros


7 comentários:

  1. Querido Jorge, belíssimo texto... Aqui a cultura é palavra de ordem... Um grande abraço de carinho,
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  2. Excelente post, Jorge. Devo acrescentar que Toulouse-Lautrec vivia de facto num bordel (ou em vários...) e as meninas de lá chamavam-lhe "o biberão". I wonder why...

    ResponderEliminar
  3. Sin duda uno de mis pintores favoritos. El dinamismo de sus dibujos y la forma que tiene de captar la personalidad de los que retrata siempre me ha cautivado.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  4. Esta tarde estive bastante tempo no MAC (Serralves).
    Por isso, não sobrou o tempo para fazer um comentário como merece este seu trabalho.
    Fica o meu abraço, junto das palavras da FERNANDA e o espírito da nossa sempre muito querida RR.

    ResponderEliminar
  5. Não referi a excelente produção vídeo!!!
    Está um Mestre, Jorge. As minhas felicitações.
    É uma ferramenta muito útil para vários fins.
    Eu, quando for grande, hei-de aprender...

    ResponderEliminar
  6. Jorge, muito bom este seu post. Eu acredito até que o mundo passou a ver Paris de uma outra maneira por causa do trabalho dele. Afinal, seu trabalho atravessou fronteiras e despertou curiosidade nas pessoas.

    Mas como sempre o reconhecimento chega sempre muito tarde.

    ResponderEliminar
  7. Olá Jorge sou visitante de todos os dias de seus blog's gostaria de receber esse video de Toulouse Lautrec. Tem como vc me mandar por e-mail??o meu e-mail é misaelalves25@hotmail.com
    Ficaria muito satisfeito se vc puder me ajudar...
    grande abraço e DEUS continui de Abençoando

    ResponderEliminar