sábado, 10 de janeiro de 2009

Fim de semana alucinante



No aspecto de novidades este fim de semana começa bem. Parece que vamos ter um fim de semana alucinante nos media.
Ou será que, como dizia Chico Buarque, "a coisa aqui tá preta" ? Vejamos:

1 - Ingleses suspeitam de corrupção de ex-ministro português

As autoridades judiciais inglesas, que têm em curso uma investigação criminal sobre o licenciamento da construção do Freeport de Alcochete, têm uma lista de 15 suspeitos de corrupção e fraude fiscal, encabeçada por um ex-ministro de António Guterres, noticia o semanário “Sol” na sua edição de hoje. Os outros suspeitos que terão estado na origem do desfalque à empresa de “outlets” são administradores do Freeport, autarcas portugueses, construtores e advogados.
O Freeport, construído numa Zona de Protecção Especial do Estuário do Tejo, foi viabilizado num dos últimos Conselhos de Ministros do Governo de António Guterres, durante o mês de Março de 2002. Nessa altura, de acordo com as autoridades inglesas, saíram da sede da empresa em Londres grandes quantias de dinheiro que foram transferidas para Portugal através de “offshores” na Suíça e Gibraltar, alegadamente para o pagamento de “luvas”.

Quem seria o ministro de Guterres que tinha poderes para alterar o estatuto da Zona de Protecção do Estuário do Tejo ?
Seria o Ministro do Ambiente ???

2 - Mais de 300 casamentos "encomendados" em Gondomar

A Conservatória do Registo Civil de Gondomar terá efectuado num ano entre 300 e 400 casamentos brancos entre cidadãos de origem paquistanesa e mulheres portuguesas, para viabilizar a legalização de centenas de imigrantes.
Os noivos muitas vezes conheciam-se no próprio dia da cerimónia e seria consumada pela responsável daquela conservatória, que hoje à tarde integra um grupo de 12 detidos apresentados pela Unidade Nacional Contra-Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária no Tribunal Central de Investigação Criminal, em Lisboa.
Este expediente era destinado a facilitar o processo de legalização de imigrantes daquela país asiático, e as mulheres aliciadas para celebrarem casamentos de conveniência seriam de origem muito humilde, recebendo em troca entre 500 e 2500 euros. A consumação da boda dava ao “noivo” acesso a passaporte português e a inerente livre circulação no Espaço Scheghen.

Paquistaneses a circular livremente pela União Europeia entrando por Portugal ?
Porque será que a Unidade Nacional Contra-Terrorismo aparece metida nisto e não é, como habitualmente o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras ???

3 - Banco Popular está a ser investigado por eventual gestão danosa

O Ministério Público está a investigar o Banco Popular na sequência de uma queixa-crime por abuso de confiança, infidelidade e gestão danosa, segundo noticia hoje o “Diário de Notícias”.
A queixa foi apresentada por vários clientes do banco no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) e confirmada àquele jornal pela Procuradoria-Geral da República (PGR).
O Banco Popular torna-se assim o terceiro banco nacional a ser investigado, depois do Banco Português de Negócios (BPN) e do Banco Privado Português (BPP).

Vamos ver se o Governo não vai "prestar assistência" a este como já fez com o BPN e o BPP.

Acho que vamos ter uma semana em cheio.

(Fonte das notícias: Público Online)