quarta-feira, 1 de Outubro de 2008

Assalto insólito

Um toxicodependente, com cadastro por assaltos a escritórios, estabelecimentos e residências e ainda por pequenos furtos, entrou no passado fim-de-semana na sede da Direcção Central de Combate ao Banditismo e roubou três computadores e duas pistolas. O homem foi apanhado cerca de três horas mais tarde, após a Polícia Judiciária ter desencadeado uma caça ao homem. Foram-lhe recuperados todos os objectos roubados.
O assalto aconteceu na madrugada de sábado. O homem terá feito outros roubos na zona, tendo furtado computadores, quando se apercebeu de que seria fácil entrar no que pensava ser mais um normal escritório. Escalou uma janela das traseiras e aproveitou o facto de o foco de luz estar avariado para não ser detectado.
Na segurança, que está de forma permanente na Direcção Central de Combate ao Banditismo, nada era visível. A câmara de vigilância que devia controlar a zona não estava a funcionar com normalidade, precisamente devido à falta de luz no local.
Do interior, o indivíduo acabou então por levar três computadores pessoais dos inspectores.
Roubou ainda duas pistolas, que se encontravam guardadas nas gavetas dos investigadores.
Fugiu, mas as impressões digitais deixadas no local do crime traíram-no. Foi rapidamente apanhado e a Judiciária conseguiu recuperar todo o material que havia sido roubado. (Fonte: Correio da Manhã)

O insólito acontece em Portugal. Depois do assalto à casa de férias do Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, do escritório de Vitalino Canas, porta-voz do Partido Socialista em questões de combate à criminalidade e do automóvel de gama alta roubado ao ex-Ministro da Justiça Laborinho Lúcio, segue-se a própria Polícia Judiciária. Isto sem falar no homem que, há tempos, foi baleado dentro de uma esquadra de polícia.
Parece que os ladrões estão cada vez mais selectivos nos alvos escolhidos.
Quando será que nos roubam o Primeiro-Ministro?
Aí, ao menos, o prejuízo era pequeno.
Graças a Deus que eu não passo de um mero cidadão anónimo.

1 comentário:

  1. Jorge,

    É mais um dos sinais claros de como está o país actualmente.
    De como a segurança é inexistente e quem manda nas ruas são os ladrões.

    A sociedade está desprotegida amigo,em que a culpa vai desde do governo,passa pela policia e continua na Lei e seus tribunais.
    E como os responsáveis máximos que podem actuar,vivem numa realidade diferente do comum dos cidadãos,esta situação não vai ter tão cedo resolução...

    Abraço amigo,
    joao

    ResponderEliminar