sexta-feira, 18 de julho de 2008

Padre António Vieira - Um grande português, com o Brasil no coração

«(…) A primeira coisa que me desedifica, peixes, de vós, é que vos comeis uns aos outros. Grande escândalo é este, mas a circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos outros, senão que os grandes comem os pequenos. Se fora pelo contrário, era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, bastara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só grande. (…) Olhai, peixes, lá do mar para a terra. Não, não: não é isso o que vos digo. Vós virais os olhos para os matos e para o sertão? Para cá, para cá: para a cidade é que haveis de olhar. Cuidais que só os Tapuias se comem uns aos outros? Muito maior açougue é o de cá, muito mais se comem os brancos. Vedes vós todo aquele bulir, vedes todo aquele andar, vedes aquele concorrer às praças e cruzar as ruas; vedes aquele subir e descer as calçadas, vedes aquele entrar e sair sem quietação nem sossego? Pois tudo aquilo é andarem buscando os homens como hão-de comer e como se hão-de comer.»
(Sermão aos Peixes, pregado na cidade de São Luís do Maranhão em 1654)

- 1608: A 6 de Fevereiro, nasce em Lisboa António Vieira.
- 1614: Aos 6 anos parte para o Brasil, com família; seu pai fora nomeado escrivão da Relação na Baía.
- 1623: Aluno do Colégio dos Jesuítas na Baía, sente vocação religiosa.
- 1624: Os holandeses ocupam a cidade; os jesuítas, com Vieira, refugiam-se numa aldeia do sertão.
- 1633: Prega pela primeira vez.
- 1635: É ordenado sacerdote, é Mestre em Artes e exerce a função de pregador.
- 1638: Pronuncia nos anos seguintes alguns dos seus mais notáveis Sermões.
- 1641: Parte para Portugal na embaixada de fidelidade ao novo rei; é preso em Peniche no desembarque; torna-se amigo e confidente de D. João IV.
- 1642: Prega na Capela Real; publica um sermão avulso.
- 1643: Na "Proposta a El-Rei D. João IV "declara-se favorável aos cristãos novos e apresenta um plano de recuperação económica.
- 1644: Nomeado pregador régio.
- 1646: Inicia actividade diplomática indo à Holanda.
- 1647: Vai a França e fala com Mazarino.
- 1648: Emite um parecer sobre a compra de Pernambuco aos holandeses; defende a criação da província do Alentejo.
- 1649: É ameaçado de expulsão da Ordem dos Jesuítas, mas D. João IV opõe-se.
- 1650: Vai a Roma, para contratar o casamento de D. Teodósio.
- 1652: Parte para o Brasil como missionário no Maranhão.
- 1654: Sermão de Santo António aos peixes; embarca para Lisboa a fim de obter novas leis favoráveis aos índios.
- 1655: Prega na capital, entre outros, o Sermão da Sexagésima; regressa ao Maranhão com as novas leis.
- 1659: Escreve Esperanças de Portugal - V Império do mundo.
- 1661: É expulso, com os outros jesuítas, do Maranhão, pelos colonos.
- 1662: Golpe palaciano que entrega o governo a D. Afonso VI; desterro no Porto.
- 1663: Desterro para Coimbra; depõe no Santo Ofício sobre a sua obra Esperanças de Portugal.
- 1664: Escreve a História do Futuro; adoece gravemente.
- 1665: É preso pela Inquisição, depois mantido em custódia.
- 1666: Entrega a sua defesa ao Tribunal; é interrogado inúmeras vezes.
- 1667: É lida a sentença que o priva da liberdade de pregar; D. Afonso VI é afastado do trono.
- 1668: É mantido em custódia em Lisboa; pazes com Castela; é amnistiado, mas impedido de falar ou escrever sobre certas matérias.
- 1669: Chega a Roma, prega vários Sermões que lhe dão grande notoriedade na Corte Pontifícia e na da Rainha Cristina; combate os métodos da Inquisição em Portugal; defende novamente os cristãos novos.
- 1675: Breve do Papa que louva Vieira e o isenta da Inquisição; regressa a Lisboa.
- 1679: Sai o primeiro volume dos Sermões; recusa o convite da Rainha Cristina para seu confessor.
- 1681: Volta à Baía e aos trabalhos de evangelização.
- 1683: Intervém activamente na defesa de seu irmão, Bernardo.
- 1688: É nomeado Visitador Geral dos Jesuítas no Brasil.
- 1691: Resigna ao cargo por força da idade e da falta de saúde.
- 1697: Morre na Bahia, a 18 de Julho, com 89 anos.
(Fonte: Vidas Lusófonas)

2 comentários:

  1. Gostaria de convidados para o lançamento do livro “400 Anos PADRE VIEIRA - Imperador da Língua Portuguesa”.

    Com a presença da maioria dos 15 autores do estudo será lançado o livro “400 ANOS PADRE VIEIRA - Imperador da Língua Portuguesa”, a partir das 19 horas do próximo 16 de Abril, no Consulado Geral de Portugal em São Paulo (Rua Canadá nº 324). O volume foi recém-lançado pela Fundação Memorial da América Latina com textos sobre o Padre Vieira, apresentados no Colóquio realizado no Memorial em 22 à 24 de Abril de 2008.

    Trata-se de uma cuidada edição do Memorial que, sob a direção do Dr. Fernando Leça, cada vez mais se destaca no panorama cultural de São Paulo, do Brasil e da América Latina. Com 280 páginas, é uma das mais amplas interpretações da vida e obra vieirinas, graças à colaboração dos professores João Alves das Neves (coordenador e participante do Colóquio de Vieira), assinalando-se igualmente os trabalhos dos ensaístas portugueses Teresa Rita Lopes, José Eduardo Franco, Teodoro Antunes Mendes e António Lopes Machado, assim como dos professores brasileiros Hernani Donato, Carlos Francisco Moura, Eduardo Navarro, Maria Beatriz do Rosário Alcântara, Rita de Cássia Alves, Paulo de Assunção, Raúl Francisco Moura, Vera Helena Pancote Amatti e Luís Antonio Lindo.

    Outras informações sobre o lançamento da obra em homenagem ao grande escritor e pregador de Portugal e Brasil, que foi o Padre António Vieira, podem ser obtidas na Fundação Memorial da América Latina, que patrocina o evento ao lado do Consulado Geral de Portugal em São Paulo e outras entidades.

    Mais uma vez agradeço a atenção,

    Com os melhores cumprimentos,

    Fabiola Nese
    Relações Publicas Blog Revista Lusofonia
    www.revistalusofonia.worpress.com ou www.joaoalvesdasneves.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Sugestão de leitura:

    http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/exsurge-deus/9789892019703/

    Melhores cumprimentos,
    Henrique Salles da Fonseca

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.