terça-feira, 24 de junho de 2008

O TRS-80. O meu primeiro computador


Nos meus tempos da faculdade fui picado pelo bichinho venenoso das comunicações e tornei-me radio-amador, com um equipamento de 60 watts, que meu Pai me ofereceu. Com ele e um fio de cobre estendido nas traseiras da casa onde morava, falei com todo o mundo, desde a Europa até ao Pacífico, passando pelos EUA e, obviamente, pelo Brasil, onde tinha amigos em todos os Estados.
As comunicações rádio eram feitas em "fonia" em Amplitude Modulada (AM) e também em "grafia", isto é, usando o Código Morse.
Em 1976 fui colocado, como médico militar, em Ponta Delgada, Ilha de S. Miguel, Açores. Obviamente que o equipamento de radio-amador me acompanhou.
Corria o ano de 1978 (ou 1979, já não me recordo bem) e um dia um amigo, também radio-amador, chamou-me a casa dele para me mostrar a sua última aquisição, que tinha trazido da América, onde fora de férias visitar parentes lá emigrados.
Era aquilo a que ele chamou um mini-computador.
Uma caixa cinza prateado metalizado, com um ecrã de televisão de 12 polegadas, um teclado noutra caixa e um gravador portátil de cassetes.
Quando ele ligou aquilo tudo, apareceram umas letras brancas no ecrã escuro, com algumas mensagens e um prompt (>_ ) para início de escrita. Exactamente como ainda hoje aparece quando trabalhamos em modo Terminal (eu uso Mac, desculpem. É modo Command para quem usa ruWindows (rs)...).
Depois foi fazer o "load" de um programa (muito ruído da cassete) e... mostrar-me as "maravilhas da técnica": jogos, processador de texto, gráficos de barras, e pouco mais.
O melhor veio quando ele ligou o conjunto ao equipamento de rádio-amador e sintonizou um colega que estava a transmitir em morse. Não é que começaram a aparecer as letras que o outro estava a transmitir ? Não é que o meu amigo respondeu "teclando" e sem usar aquelas chaves antigas que todos nós usávamos, com que batíamos os pontos e os traços ?  Acho que foi o primeiro chat que eu vi !!!

Passados dois meses eu tinha o meu Radio Shack TRS-80, modelo I, trazido dos EUA, da Tandy Corp. O "miolo" era: um processador Z-80 com 4K de memória RAM, e uma ROM de inicialização com o software e BASIC. Programas e os dados eram carregados através da cassete. Exibição do vídeo possuía 64 caracteres e 16 linhas, com alguns caracteres gráficos simples, bem como letras maiúsculas.
É isso mesmo !!! Os meus leitores leram bem !!! 4K de RAM... não megas, não gigas... nada disso. Mais tarde comprei uma RAM de 16K porque os 4K, embora satisfizessem para o morse, tornavam-se lentos quando usava o programa de RTTY e para alguns joguinhos mais elaborados. A linguagem BASIC de programação era o Microsoft Basic.
Meu filho ainda hoje o conserva, com algumas cassetes de jogos e outro software simples.
Uma peça de museu !!
Depois vieram  o Amstrad, o Sinclair zx-81 (o tão popular Spectrum), um IBM, muitos outros PCs e agora o MacBook Pro.
Que rapidez de evolução !!!... Estou a começar a sentir-me velho !!!

3 comentários:

  1. Hehehe, belo post, o máximo que cheguei foi a usar o CP-500, rsrs Sistema operacional Sisne-SYS. Eita história.

    Fazendo programinhas em BASIC.

    ResponderEliminar
  2. Jorge,

    Eu passei logo para um desktop Windows Xp,e ainda mais maravilhas virão amigo.
    Tecnologias com capacidades ainda nem imagináveis.

    Abraço Jorge,
    joao

    ResponderEliminar
  3. Eu comecei com um PC-XT, aquele de tela verde, depois passei pra um AT 286, um 386... hoje tenho um Pentium D, mas em breve vou trocar. Realmente evoluiu muito e acredito que não somos nós que envelhecemos, mas sim a tecnologia que está sendo cada vez mais rápida. Bjuuu querido!

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.