sexta-feira, 9 de maio de 2008

Futebol Português - Apito Final


"A Comissão Disciplinar da Liga puniu o Boavista com descida de divisão e uma multa de 180 mil euros, por coacção sobre diferentes equipas de arbitragem na época 2003/2004. No âmbito do mesmo processo, conhecido como Apito Final, o FC Porto foi sancionado com a perda de seis pontos, por tentativa de corrupção, e o seu presidente suspenso por dois anos, enquanto a União de Leiria foi punida com perda de três pontos.
Na sequência dos factos apurados, João Loureiro, presidente da SAD do Boavista à data dos factos, foi suspenso de actividades desportivas por um prazo de quatro anos, tendo-lhe ainda sido aplicada uma multa única de 25 mil euros.
Já o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, será punido com a suspensão de dois anos e uma multa de dez mil euros. O clube, além da perda de seis pontos, a aplicar na actual temporada, foi ainda condenado ao pagamento de uma multa de 150 mil euros.
O presidente da SAD leiriense, João Bartolomeu, fica suspenso por um ano e terá de pagar uma multa de quatro mil euros, sendo o clube igualmente condenado a desembolsar 40 mil euros.
"
Fonte: jornal Público de hoje

Até que enfim !
Apitos Dourados, Prateados ou Finais (chamem-lhes o que quiserem) parece que começam a dar frutos.
Todos estamos fartos de ouvir falar, há anos, de corrupção no futebol português, mas a descrença estava já a instalar-se.
Será que isso ia dar em nada, como é apanágio de muitas coisas neste país?
Mas a luz ao fundo do túnel parece que começa a brilhar.
Já não era sem tempo.
Claro que alguns adeptos dos clubes agora punidos e os amigos dos dirigentes castigados vão lutar pela sua dama e vão clamar, com toda a força dos pulmões, que tudo foi uma cabala montada para desprestigiar os clubes do norte e em especial o Campeão Nacional.
Mas todos sabemos que a maioria dos adeptos, pessoas honestas e responsáveis, não iriam pactuar com este estado de coisas, quando as verdades fossem tornadas públicas.
Agora foi o caso APITO FINAL, esperemos o encerramento do chamado APITO DOURADO e, por ventura outros que se lhe sigam.
O futebol português tem que ser limpo e deve ser prestigiado.
O futebol português dispensa dirigentes e árbitros corruptos.
Justiça precisava-se, com urgência !

Ontem na Grande Entrevista da RTP, Luiz Filipe Scolari, quando perguntado se havia droga no futebol português, foi evasivo, mas não deixou de ser suficientemente eloquente. Tem ouvido rumores...
Esta é outra área que merece ser bem investigada por quem de direito.
E, sobretudo neste campo da droga, que a mão seja pesada.

2 comentários:

  1. Boas Tardes

    Não sou Portista, Benfiquista ou Sportinguista, sou do Farense primariamente e também simpatizante da Académica.
    Assisto normalmente ao futebol e gosto de ver bem jogar.
    Estou atento a todo este escândalo, mas no entanto não vi em manxete as seguintes perguntas:
    - Se esta senhora mente deste modo, qual é a sua principal motivação para fazer o que faz e pelo que percebi hoje mentir como mente de facto?
    - Se esta testemunha que é a unica contra o Sr.Pinto da Costa, não mostra coerencia no que diz, como pode haver credibilidade? (O sistema Americano neste caso é melhor para resolver estes problemas, sendo uma testumnha que não mostra coerencia afastada de pronto da acusação/defesa de alguem)
    - Se a constituição portuguesa não permite escutas telefónicas, como podem estas serem usadas para incriminar ou absolver alguém em tribunal? (Ou seja a constituição Portuguesa não vale nada? Ou uns são filhos e outros são enteados?)

    Eu pessoalmente penso que pessoas em grandes posições, com grande poder, normalmente são "seduzidas" a contornar as leis do jogo que tão a jogar, não só no campo desportivo, como politico, etc...
    Agora, para boas condenações (porque eu estou a favor que o Sr.Pinto da Costa é corrupto em alguma coisa certamente, assim como o Sr.Luís Filipe Vieira, o Sr.Dias da Cunha, o Sr.Valentim Loureiro), é preciso haver factos objectivos, construtivos, elucidativos, coerentes...
    Não é gastar o dinheiro dos impostos dos contribuintes a abrir processos, e como nada se prova, depois andar a achar o bobo da festa para se justificar os meios.

    Aqui fica o meu pensamento.
    Saudações a todos os Leitores,

    Daniel Santos

    ResponderEliminar
  2. Olá amigo Daniel
    Obrigado pelo seu comentário, com o qual concordo, em termos gerais.
    Aliás em termos de Justiça em Portugal, parece-me que às vezes, há uma certa ligeireza de procedimentos.
    Mas também não podemos acreditar em tudo o que os jornais, rádios e televisões nos dizem.
    Abraço e volte sempre
    Jorge

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.