segunda-feira, 26 de maio de 2008

Combustíveis


Recusando culpas no cartório e referindo-se à escalada vertiginosa do preço dos combustíveis, Manuela Ferreira Leite disse à TSF que «a liberalização do preço dos combustíveis tem exactamente o objectivo contrário que é fazer baixar os preços. E portanto isso significa que alguma coisa está a funcionar mal».
Esqueceu-se de algo importante:
Abrir mão de qualquer coisa é perder o controlo sobre ela. E foi isso que aconteceu.
Os detentores do capital visam acima de tudo os lucros e são completamente gelados quanto a preocupações sociais. Sobretudo quando em determinada área se movimentam só 3 ou 4 deles e não há verdadeiramente lugar a "luta" pelo mercado, isto é, quando há praticamente uma situação de monopólio.
Áreas sensíveis como os combustíveis, que podem facilmente alterar todo o quadro económico de um povo tão pequeno e economicamente tão fraco como o nosso, não devem, nem podem, ficar à mercê dos instintos de lucro de menos de meia dúzia de indivíduos.
A baixa do ISP (Imposto sobre os Produtos Petrolíferos) será provavelmente inevitável, até porque o Estado já não tem ao seu dispor outras medidas para proteger a bolsa dos portugueses.
Continuando a citar a praticamente candidata a Primeira Ministra, «a redução do imposto é algo que parece muito fácil. Simplesmente como isto é uma receita do Estado, para o reduzir ou se lança um qualquer outro imposto ou se vai reduzir uma despesa, que não se está a ver qual é.»
Pois é... tem toda a razão !!!
Nós portugueses gostaríamos era de saber qual é a receita que Manuela Ferreira Leite terá escondida na manga mas não disse.
Ou será que a senhora já nem sabe como é que agora se vai descalçar a bota ?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Agradeço o seu comentário.